Esmaltes hipoalergênicos – Como cuidar da alergia a esmalte

 

De acordo com os especialistas, é mais difícil identificar o problema, pois as manifestações não aparecem diretamente nas unhas.


Esmaltes Hipoalergenicos para quem tem alergia

Segundo os dermatologistas, algumas peles são sensíveis às composições dos esmaltes. Nos frascos comuns é possível encontrar substâncias como o formaldeído. O componente está presente na resina incluída na cor dos esmaltes, com a finalidade de dar mais durabilidade para o produto.

Outras composições que podem ser responsáveis por uma possível alergia a esmalte são o tolueno que é um solvente diluído no cosmético e a mica, pigmento encontrado em esmaltes cintilantes, ou perolados.

A alergia a esmaltes pode ser chamada também de dermatite de contato, ou também recebe o nome de eczema de contato. Os especialistas explicam que a alergia a esmaltes não tem hora para aparecer e pode surgir até na fase adulta.

Por isso, os especialistas indicam aos pacientes que procurem um médico o quanto antes, caso as pálpebras comecem a inchar e as mãos, ou pescoço iniciem uma coceira sem precedentes de contato na região. O diagnóstico certo só é confirmado após a realização de um teste de contato feito por um dermatologista.

No teste de contato, o médico descobre se o paciente tem alergia a esmaltes por meio de uma aplicação de uma fita com 35 substâncias nas costas do alérgico. Os compostos químicos são variados e incluem o formaldeído e as resinas, que estão presentes nas composições dos esmaltes comuns.


Créditos: divulgação / reprodução

Depois de um período de dois dias (48 horas), a fita, que contém as substâncias encontradas nos esmaltes, é retirada da pele do paciente. Feito isso, o dermatologista analisa a região e observa quais foram as reações da pele, com relação às aplicações no local.

O médico observa a região novamente após 96 horas e só diagnostica a alergia caso o paciente apresente vermelhidão e até mesmo bolhas na pele afetada.

Atenção redobrada para os compostos químicos

Os esmaltes contêm diferentes composições químicas para chegar ao resultado esperado os quais as mulheres passam nas unhas.

De acordo com a Proteste – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, os compostos químicos encontrados nas cores dos esmaltes, como o nitrotoluene, toluene e furfural são altamente cancerígenos.

A mesma pesquisa revela que os compostos químicos encontrados são tão perigosos que países como o Canadá, os Estados Unidos e em alguns lugares do oeste europeu baniram o uso das composições nos esmaltes em seus territórios.

Caso bateu alguma dúvida sobre saber se a pele é ou não alérgica ao produto, a dica é a de ficar atenta ao fazer as unhas. Caso os olhos da pessoa fiquem inchados, após o uso dos esmaltes, procure um especialista para receber o diagnóstico do problema.

Não existe cura para a alergia a esmaltes, mas tem tratamento para cuidar das reações as químicas. O primeiro passo é o de deixar de lado os esmaltes convencionais e depois, tratar a região com medicações que controlem as lesões provocadas pela dermatite de contato.

Esmaltes hipoalergênicos


Créditos: divulgação / reprodução

Deixar de usar os esmaltes convencionais, não significa que o paciente deve ficar com as unhas sem cores. Atualmente, o mercado de cosméticos tem uma variedade de produtos voltados para quem deve ficar longe das químicas incluídas nos produtos.

Os esmaltes hipoalérgicos, por exemplos, são desenvolvidos para pessoas que têm alergia aos cosméticos do tipo convencional. Marcas como Impala, Revlon, Risqué, DermaNail, entre outras, disponibilizam a opção hipoalérgica de produto. O preço dos esmaltes hipoalergênicos variam entre R$ 8 a R$ 15,90.

As cores de esmaltes hipoalergênicos, assim como os convencionais, são variadas. A Impala, por exemplo, tem uma cartela de 27 frascos dermatologicamente testados. A marca afirma que é a primeira a investir nos cosméticos hipoalérgicos no Brasil. As opções variam de cremosos, perolados e transparentes.

Dermanail hipoalergênicos
Créditos: divulgação / reprodução

Outra opção é a de apostar nos esmaltes da Revlon. Todos os frascos da marca são hipoalérgicos, além de levar nas composições proteínas e vitaminas para as unhas. Já a Risqué também tem uma linha exclusiva de esmaltes hipoalérgicos com 29 frascos que variam de transparentes, cremosos e cintilantes.

A DermaNail é voltada para a saúde das unhas e tem no mercado a linha DermaNail Colors, com 63 esmaltes hipoalérgicos diferentes que variam nas texturas cremosos e cintilantes. Dica: o site da marca tem um simulador que permite saber como ficará a cor nas garras. 

Jornalista por formação, curiosa desde o nascimento. Acredita na informação, cultura e educação.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Deixe seu comentário