Manual do cidadão na internet – Guia de bons modos

As nossas práticas diárias não apareceram na nossa vida do nada: elas foram construídas, seja pela sociedade em que estamos inseridos, seja pelo nosso convívio em família. Assim, é possível ver que várias condutas se diferenciam de cultura para cultura, até mesmo mudando dentro de um mesmo país, especialmente o Brasil com seu extenso território e com o tanto de imigrantes que construíram a riqueza de cultura que temos.

Entretanto, algumas maneiras de se portar deveriam ser comuns em todos os países, regiões e culturas. Essas maneiras se baseiam em um código base, que é “meu direito termina onde começa o seu”. É o respeito ao próximo e fim! Isso deve ser a base do que você faz em sua vida: não desrespeitar o direito do próximo em nenhum momento!

Isso vale para quando você anda na rua, faz compras, fala ao telefone, ouve música e tudo mais. O próximo, nessa situação, está mais próximo ainda. Então, vamos respeitar as outras pessoas, dando licença, falando baixo ao celular, não ouvindo música sem fones de ouvidos, e, ocasionalmente, pedindo desculpa por ter desrespeitado, sem querer, a pessoa que está próxima.

Tais boas maneiras devem ser feitas também nas redes sociais, considerando que estas são uma extensão da sua vida. Para começar, falando em extensão da sua vida, pense muito bem no que você fala na sua página. Isso não deve desrespeitar aos seus “amigos”. Você também não deve falar tudo o que pensa nas redes sociais – afinal, você não faz isso normalmente, faz?! Não é só porque você está em uma rede social que você pode simplesmente escrever tudo o que pensa!

Saiba que existem pessoas em sua rede que possuem crenças e culturas diferentes. Se o que você está pensando não vai agradar a todos ou irá ferir alguém, não fale!

Palavrão é o cúmulo do ridículo, seja na vida real ou na virtual. Existem muitas pessoas que não gostam de tais palavras, especialmente os mais velhos. Vamos respeitar as pessoas que estão lendo o que você posta. Mesmo que você queira expressar algo que ocorreu e que te deu raiva, nosso vocabulário é vasto o suficiente para você preencher as lacunas da sua frase com palavras que não sejam palavrões, mas que podem demonstrar toda sua insatisfação.

Nem todos querem saber a todo momento sobre sua vida. Banho, almoço, banheiro e outras coisas corriqueiras não devem ser expostas na rede. Preserve sua intimidade para não correr riscos.

Cuidado com opiniões extremistas. Ser preconceituoso com religiões, opções sexuais, etnias não devem ser expressas nas redes e nem na vida real. Guarde tais opiniões para você mesmo (quem sabe um psicólogo poderia te ajudar com tais questões).

Cuidado com as fotos que expõem sua intimidade. Fotos de biquíni, sensuais, ou de você e seus amigos extrapolando em uma festa poderiam causar problemas. Não se esqueça que muitas pessoas do seu trabalho/escola estão na rede e poderiam interpretar mal essas postagens.

Por fim: pense que todos poderão ver o que você expõe na rede, especialmente aquelas pessoas que são suas “amigas”. Escolha bem as palavras e o que você quer que as pessoas saibam. 

 

Ex-patricinha, ex-peoa, ex-hippie, sou formada em Letras e apaixonada por moda e maquiagem desde que ganhei meu primeiro batom de moranguinho. Para mim, rosa não é só uma cor, é uma filosofia de vida.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe seu comentário