Saiba quais são as diferenças entre os sabonetes íntimos

Você sabe usar corretamente os sabonetes íntimos? De acordo com o Guia sobre Higiene Íntima, da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), escolher o produto certo depende mais da anatomia, do que o gosto, ou marca favorita.

O roteiro indica às mulheres que levem em consideração as opções que respeitem o nível de pH ácido da região íntima, que previnem a proliferação de bactérias, ajudando a evitar infecções e odores.

A região íntima precisa de cuidados especiais, quando o assunto é higienização da região. Além da preocupação com a frequência, a mulher deve estar atenta aos produtos que são oferecidos nas prateleiras e, principalmente, buscar por itens que serão compatíveis às características da usuária.

Mas, como saber qual sabonete correto usar? Esta é uma dúvida que pode ser feita muitas vezes pelas mulheres, afinal é difícil distinguir uma opção das demais. O indicado pelos especialistas é investir nos itens focados para as regiões íntimas, pois são produtos desenvolvidos para a higienização, ao contrário dos tipos comuns.

Tipos de sabonetes íntimos e qual a melhor escolha

Caso haja alguma dificuldade em descobrir qual sabonete é o melhor para cada caso, a gente te explica:

Íntimos: a região íntima é delicada e os sabonetes íntimos são produtos testados, indicados exclusivamente para a área.

Segundo o Guia Febrasgo, a melhor opção são os produtos hipoalergênicos, apropriados para a higiene íntima, que reduzem a chance de ocorrência de quadros irritativos. Deve-se dar preferência aos líquidos, com pH ácido (níveis que variam entre 4,2 e 5,6) e que produzam pouca espuma.

Normais: são sabonetes que têm pH alcalino. Por isso são o oposto dos ácidos e diferentes do ambiente natural da região íntima. Para se ter uma ideia da alcalinidade, as opções líquidas comuns possuem pH de níveis 7 e 8, já os em barra ficam entre 9 e 10.

De acordo com o Febrasgo, são categorias que podem prejudicar a camada ácida natural e protetora da região, que defende a área contra germes, causadores de alergias e coceiras.

O uso diário e contínuo do produto pode irritar e até agredir o ambiente sensível da região íntima. Além disso, sabonetes em barra, por estarem constantemente em contato com o ar, podem sofrer contaminações do meio externo.

Bactericidas: são tipos que possuem o pH variado entre 11 e 12, ou seja, são alcalinos de níveis altos.

Quando o produto é usado na região íntima, a defesa natural é comprometida, deixando a região suscetível a micro-organismos, entre outras substâncias nocivas para o organismo.

Além disso, os especialistas pedem para que a paciente evite o contato com produtos que contenham substâncias antissépticas (como triclosan e clorexidina), pois a higiene íntima é realizada para remover resíduos e não deve atacar a flora natural da região.

Mais dicas para escolher o sabonete íntimo correto

De acordo com o Febrasgo, a higienização íntima deve ser feita uma vez ao dia, em climas frios, ou de uma até três vezes ao dia, em temperaturas mais quentes.

Os médicos garantem que os lenços umedecidos são úteis para a higiene fora de casa. A aplicação do produto deve ser suave e o uso não deve ser abusivo para manter a camada protetora da pele. As opções hipoalérgicas com pH ácido são as mais recomendadas, pois são dedicadas à limpeza íntima.

O uso dos sabonetes íntimos deve ser restringido à higiene da parte externa da região genital. São sabonetes que não devem ser utilizados para duchas internas, nem para tratar infecções, ou inflamações genitais.

Os especialistas também recomendam que a mulher procure uma orientação e a recomendação de um ginecologista, afinal o profissional é o mais indicado para ajudar nos cuidados íntimos. 

Jornalista por formação, curiosa desde o nascimento. Acredita na informação, cultura e educação.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Deixe seu comentário